A CRÍTICA DA IDEIA DA INDÚSTRIA CULTURAL EM LIVRO SOBRE CAPITAL COMUNICACIONAL

O livro "Teses sobre o Capital Comunicacional", publicado por Nildo Viana, aponta para uma

nova concepção do que se convencionou chamar de "indústria cultural", "meios de comunicação de massas" ou, mais popularmente, mass media. Através de um conjunto de teses que anuncia uma teoria do capital comunicacional, Nildo Viana não somente mostra os limites da concepção de indústria cultural, cunhada por Adorno e Horkheimer, e a concepção "evolucionista-progressista" norte-americana, como realiza reflexões sobre a questão da comunicação, o capital comunicacional e suas características, bem como a necessidade de se criar novos meios de comunicação.


DADOS DO LIVRO:


Título: Teses sobre o Capital Comunicacional.

Autor: Nildo Viana

Editora: Edições Enfrentamento.

Edição: 01.

Ano da publicação: 2020

ISBN: 978-65-00-03917-7


SINOPSE:


A afirmação de que os “meios de comunicação de massas”, “indústria cultural”, entre outros termos semelhantes, exercem uma dominação quase absoluta sobre as “massas” ou o “povo”, é bem conhecida. Nildo Viana apresenta uma crítica tanto da concepção evolucionista-progressista dos meios de comunicação de massas quanto os representantes da Escola de Frankfurt, especialmente Theodor Adorno e Max Horkheimer e sua concepção de “indústria cultural”. O autor, além disso, apresenta uma análise crítica do que denomina “capital comunicacional”, mostrando que sua compreensão requer compreensão do capitalismo, bem como apresenta a necessidade de superação do modo de comunicação assimétrico e da adoção de um modo de comunicação simétrico. Isso, segundo o autor, só é possível como a transformação total e radical do conjunto das relações sociais.


Comprar.

23 visualizações
  • Facebook
  • Edições Enfrentamento
  • YouTube
  • Pinterest
  • Tumblr Social Icon
  • Instagram