Uma crítica radical ao feminismo


Stella Anderson realiza uma crítica ao radical ao feminismo em sua obra recém-lançada pela Edições Enfrentamento. Anderson aponta alguns problemas que seria da essência do feminismo, entre os quais a imagem da mulher, que provocaria sua "imaturalização" e a ideia de "guerra dos sexos", que seria um reducionismo. Obra imperdível para adeptos e adversários do feminismo e atualíssima, trazendo uma nova abordagem sobre a questão da libertação da mulher.


Título: Crítica ao Feminismo

Subtítulo: A Ideologia Feminista como Prisão Feminina

Autor: Stella Anderson

Editora: Edições Enfrentamento.

Edição: 01.

Ano da publicação: 2021

Tamanho: 14/21

Páginas: 142

Série/Coleção: Crítica Revolucionária

ISBN: 978-65-88258-31-6 

ISBN EBOOK: 978-65-88258-32-3 .


Contracapa


O feminismo é uma das mais influentes ideologias contemporâneas. Do seu início marginal ao seu sucesso posterior, passando a ser aclamado nos meios acadêmicos e políticos, por celebridades e capital comunicacional, empresas capitalistas variadas e fundações e organismos internacionais, foi uma longa carreira de sucesso. Stella Anderson realiza uma crítica radical do feminismo. Para a autora, o feminismo é uma prisão ideológica para as mulheres ao invés de ser um instrumento de libertação. Ele não é uma solução, mas apenas mais um problema. Stella Anderson desmonta o discurso feminista a partir de uma incursão na vida cotidiana e na modernidade, mostrando que a complexidade das relações sociais modernas é ofuscada pelo reducionismo de uma ilusória “guerra dos sexos” e por uma imagem falsa da mulher. A conclusão da autora é categórica: a libertação da mulher pressupõe a superação do feminismo.



Texto da Orelha

O feminismo é a doutrina da libertação das mulheres! Ledo engano! O feminismo é um obstáculo para a libertação feminina, afirma Stella Anderson. O feminismo é burguês, não ultrapassa os horizontes da modernidade. Através de uma instigante reflexão sobre o feminismo e suas ideias básicas, Anderson mostra seus limites e vínculos com o pensamento burguês. A mulher só poderá se libertar se superar a imaturação que o feminismo reforça e amplia. Para isso se concretizar é preciso uma ampla, radical e total transformação social. Isso só pode ser esboçado e conquistado através da luta das mulheres ao lado do proletariado para romper com as bases sociais da subordinação da mulher e do sexismo, o que é alheio ao feminismo, pois ele não aponta para a superação do capitalismo.


Biografia


Stella Anderson é autora dos livros “Crítica ao Feminismo” e “Modernidade e Vida Cotidiana”, além de romances e artigos. Os temas principais de sua análise são a questão da mulher, o feminismo, a modernidade, a cotidianidade. Anderson parte da análise marxista da sociedade capitalista para refletir sobre a vida cotidiana e a situação da mulher. A sua principal tese é a de que qualquer acontecimento da vida cotidiana, por mais insignificante que seja, só pode ser entendido no interior da modernidade. O que acompanha sua crítica das ideologias modernas e das que autodeclaram “pós-modernas”, pois, assim como os pequenos acontecimentos cotidianos, não são nada mais do que expressão da modernidade.


Onde Comprar

Booktrailer (em breve)

Resenha (em breve)

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • Edições Enfrentamento
  • YouTube
  • Pinterest
  • Tumblr Social Icon
  • Instagram